Portal da Regularização Ambiental SRB REGULARIZE JÁ

O Mercado Hoje

Neste canal você fica por dentro das principais análises econômicas do dia em noticiário atualizado a cada 15 minutos. Este serviço do Portal SRB é fruto de parceria com a agência Safras.

 

(10/12 - 19:46) CARNE BOVINA: Custos de produção se mantêm baixos no RS - Emater


Porto Alegre, 10 de dezembro de 2015 - As condições climáticas no Rio
Grande do Sul estão apresentando muita umidade e reduzida luminosidade. Porém,
as pastagens nativas estão aumentando gradativamente a oferta forrageira e a
taxa de acúmulo de forragem.

É recomendado oferecer sal comum ou sal mineral e outros aos
rebanhos.

Fase final de nascimento de terneiros

Em São Gabriel, o percentual de terneiros nascidos atinge 90%. O
período é de cuidado com matrizes e terneiros nascidos nesta temporada.
Também há atenção com os touros, para a temporada reprodutiva que está
sendo realizada e se estende de maneira geral até fevereiro-março.

Algumas propriedades estão realizando o trabalho de inseminação de
novilhas e IATF em vacas com cria. Os rebanhos ainda aproveitam alguns locais
onde foram cultivadas as pastagens de inverno e o campo nativo em rebrote, com
disponibilidade forrageira aumentando. Em alguns municípios o aumento da
temperatura intensificou a infestação de carrapatos, e alguns produtos para
controle não estão dando o resultado esperado.

Daí a necessidade de alternar os princípios ativos para
evitar resistência a alguns carrapaticidas. Começa a infestação de mosca do
chifre. Os pecuaristas devem utilizar carrapaticidas que também sejam
mosquicidas.

Prossegue o combate da verminose. Ocorre vacinação da brucelose nas
terneiras entre três a oito meses. Produtores também relatam alguns casos de
Tristeza Parasitária. A vacinação contra a febre aftosa encerrou dia
30/11/2015 e terminou em 07 de dezembro o prazo para os pecuaristas fazerem a
comprovação da vacina, através da apresentação da nota fiscal de compra na
Inspetoria Veterinária.

Na região de Santa Rosa a atividade continua em alta, impulsionada pelos
bons preços ofertados ao boi gordo e também aos terneiros. A grande maioria
dos produtores mantêm os custos de produção baixos, baseados em sistema
extensivo, porém com melhores tecnologias genéticas e de manejo sanitário.

Estima-se que em torno de 90 mil ha são ocupados com pecuária de forma
permanente e outros 40 mil ha de forma esporádica para terminação.

Comercialização com tendência de diminuir a oferta de animais
para abate, pela proximidade do término da safra de gado gordo oriundo das
pastagens de inverno; os preços com ligeira alta, característica da época.
Há procura por animais de recria e de novilhos e vacas vazias para engorda.
Preços mantêm-se firmes. Com informações do boletim semanal divulgado pela
Emater (RS).

Revisão: Carine Lopes (carine@safras.com.br) / Agência Safras

Copyright 2015 - Grupo CMA


(10/12 - 19:16) FEIJÃO: Plantio atinge 94% no RS - Emater


Porto Alegre, 10 de dezembro de 2015 - O plantio de feijão no Rio
Grande do Sul atinge 94% do total, e a colheita, 1% da área. As lavouras de
feijão do Rio Grande do Sul tiveram melhores condições de desenvolvimento na
maioria das áreas de produção nesta semana que passou. Apenas a ocorrência
de ventos frios no Alto da Serra do Botucaraí dificultou o crescimento das
plantas. Entretanto, os efeitos negativos dessa situação climática foram
minimizados pela ocorrência de boa radiação solar.

O plantio nos Campos de Cima da Serra, última região a iniciar essa
operação, começa a evoluir com maior ritmo nesse período. Na região Sul, a
semeadura segue em atraso, em decorrência das condições meteorológicas
anteriores e de mão de obra escassa.

Alguns municípios relatam que, no atual ritmo de semeadura, não
conseguirão semear a área estimada de plantio, com destaque para Arroio do
Padre, que poderá ter redução de plantio de 50% da área prevista. Canguçu
também dificilmente atingirá o total da área de intenção de plantio de dois
mil hectares, assim como Cerrito.

A cultura segue em plena evolução - com ênfase as fases de
desenvolvimento, floração e maturação do grão; em algumas áreas da região
Central e Noroeste, produtores iniciaram a colheita com boa
produtividade.

O preço médio da saca de 60 kg do feijão preto subiu mais 2% na
semana, no Estado, chegando aos R$ 126,17. Com informações do boletim semanal
divulgado pela Emater(RS).

Revisão: Carine Lopes (carine@safras.com.br) / Agência Safras

Copyright 2015 - Grupo CMA


(10/12 - 18:54) CARNES: Trouw Nutrition tem novo Centro de Distribuição em Anápolis (GO)


Porto Alegre, 10 de dezembro de 2015 - A Trouw Nutrition, do grupo
Nutreco, como parte da sua estratégia de negócios no Brasil, instalou um novo
Centro de Distribuição (CD) em Anápolis (GO). O local agora é próprio da
empresa e está em funcionamento desde o dia 20 de novembro. A iniciativa visa
melhor atender os parceiros em todo estado de Goiás, de forma eficiente e
estratégica, com produtos a pronta entrega.

"Antes, a estrutura utilizada na fábrica de Anápolis era num prédio
alugado, onerando custos à empresa. Dentro do projeto de reestruturação das
atividades no Brasil, a Trouw Nutrition já investiu R$ 10 milhões na
modernização das suas principais fábricas de Pitangueiras, Maracanaú (CE) e
Teresina (PI). E, para o primeiro trimestre de 2016, serão R$ 40 milhões
investidos para a construção de uma nova fábrica de premixes e núcleos no
Brasil", afirma o presidente da Trouw Nutrition no Brasil, o médico
veterinário Luciano Roppa.

Atualmente a Trouw Nutrition Brasil conta com seis marcas de produtos: a
Fri-Ribe (Rações e Concentrados para todas as espécies animais), a Bellman
(Suplementos minerais de alta tecnologia para ruminantes), a Fatec (Premixes,
Núcleos, Aditivos e Saúde Animal), a BRNova (Premixes, Núcleos e Aditivos), a
Selko (Saúde Animal e Aditivos) e a Sloten (Produtos lácteos para Suínos e
Ruminantes).

Ao todo são 6 fábricas de rações, concentrados, núcleos e
premixes, além das áreas de especialidades, matérias primas e saúde animal,
com faturamento estimado de R$ 650 milhões em 2015. São 1.100 colaboradores,
235 representantes e os produtos são vendidos em 2.082 lojas. A empresa atende
no Brasil, 11.388 clientes, que realizaram compras efetivas nos dois últimos
meses. Com informações da assessoria de imprensa da Trouw Nutrition Brasil.

Revisão: Carine Lopes (carine@safras.com.br) / Agência Safras

Copyright 2015 - Grupo CMA


(10/12 - 18:50) SOJA: Plantio atinge 88% da área no RS - Emater


Porto Alegre, 10 de dezembro de 2015 - A área plantada de soja no Rio
Grande do Sul avançou chegando neste momento a 88% da área prevista,
situando-se à frente da média dos últimos anos. Como as chuvas da última
semana foram esparsas e de volume muito variado - houve municípios que sequer
registraram a ocorrência em algumas localidades -, o plantio transcorreu sem
maiores dificuldades, aguardando-se pela manutenção da umidade no solo, o que
possibilitaria a finalização do plantio.

Nas lavouras implantadas há mais tempo, a evolução é considerada
boa. Nas últimas implantadas e prejudicadas pelas chuvas em excesso do mês
passado, há dúvidas sobre a boa formação do Stand de plantas. Nesse sentido,
algumas lavouras tiveram que passar por replantio devido à má germinação
causada pelo excesso de umidade.

Todavia, essa situação tem ocorrido em casos pontuais, não impactando
a cultura como um todo. O preço médio da saca de 60 kg da soja esta semana
foi de R$ 72,74 no estado. Com informações do boletim semanal divulgado pela
Emater (RS).

Revisão: Carine Lopes (carine@safras.com.br) / Agência Safras

Copyright 2015 - Grupo CMA


(10/12 - 18:04) MILHO: Lavouras do RS estão livres de pragas e doenças - Emater


Porto Alegre, 10 de dezembro de 2015 - A cultura do milho no Rio Grande
do Sul encontra-se na fase de desenvolvimento vegetativo, com bom padrão de
lavoura e livre de ataques de pragas e doenças, beneficiada pelas condições
climáticas do momento (calor e umidade). A maior parte das áreas semeadas no
cedo está na fase de enchimento de grãos.

Nessas áreas, na maioria dos casos, já é possível perceber o
excelente potencial produtivo das lavouras, que apresentam evolução normal das
plantas e espigas grandes e bem formadas, basicamente em função de dias
seguidos com ocorrência de precipitações mais regulares e com temperaturas
elevadas.

É consenso entre os técnicos que as condições meteorológicas das
próximas semanas serão decisivas para a garantia de uma boa produção. No
tocante ao milho para silagem, a área já colhida e processada alcança 2% do
total estimado para este fim (350 mil ha).

O preço médio estadual da saca de 60 kg foi de R$ 30,07 esta semana.
Com informações do boletim semanal divulgado pela Emater (RS).

Revisão: Carine Lopes (carine@safras.com.br) / Agência Safras

Copyright 2015 - Grupo CMA


(10/12 - 18:00) ARROZ: Plantio atinge 98% do total no RS - Emater


Porto Alegre, 10 de dezembro de 2015 - A conclusão do plantio do arroz
no Rio Grande do Sul está próxima (98% do total), faltando poucas áreas a
serem finalizadas. De maneira geral, a germinação tem se realizado sem maiores
problemas; nas lavouras mais adiantadas, o desenvolvimento é considerado
dentro da normalidade e apresenta bom padrão.

A irrigação, que de agora em diante começa a se intensificar,
também ocorre sem transtornos devido à boa quantidade de água armazenada nas
barragens e ao nível normal de rios e arroios. Até o momento, não há
informações sobre ataques mais intensos de pragas ou moléstias; os produtores
aproveitam a época para aplicar adubos nitrogenados em cobertura, tentando
garantir uma boa produção futura.

Devido aos problemas com o excesso de chuva em outubro e novembro, que
prejudicou a evolução normal do plantio, a atual safra está em defasagem se
comparada com a do ano passado.

Na comercialização, os preços ficaram praticamente estáveis em
relação aos períodos anteriores; em âmbito estadual, a saca de 50 kg
está cotada a um preço médio de R$ 40,02. Com informações do boletim
semanal divulgado pela Emater (RS).

Revisão: Carine Lopes (carine@safras.com.br) / Agência Safras

Copyright 2015 - Grupo CMA


(10/12 - 12:08) SOJA: USDA anuncia venda de 120 mil t para destinos não revelados


Porto Alegre, 10 de dezembro de 2015 - Os exportadores privados
norte-americanos reportaram ao Departamento de Agricultura dos Estados Unidos
(USDA) a venda de 120,000 toneladas de soja para destinos não revelados, com
entrega na temporada 2015/16.

Toda operação envolvendo a venda de volume igual ou superior a 100 mil
toneladas do grão, feita para o mesmo destino e no mesmo dia, tem que ser
reportada ao USDA.

Dylan Della Pasqua (dylan@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2015 - Grupo CMA


(09/12 - 18:03) LOGISTICA: Mapa construirá Ceasa e armazém de grãos em Rondônia


Porto Alegre, 09 de dezembro de 2015 - Em reunião com o governador de
Rondônia, Confúcio Moura, a ministra Kátia Abreu (Agricultura, Pecuária e
Abastecimento) acertou nesta quarta-feira (9) a construção de uma unidade da
Ceasa e de um armazém de grãos a granel no estado.

A Ceasa será construída na capital Porto Velho e servirá como um
grande e eficiente polo de distribuição de alimentos para a região. A
ministra afirmou que a Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo
(Ceagesp) vai elaborar o projeto de logística interna do centro, que
começará a ser construído já em 2016.

"Um Ceasa em Rondônia vai facilitar a vida do distribuidor e do
consumidor final, beneficiará toda a população. Pode servir de ponto de venda
inclusive para países vizinhos", disse a ministra, durante a reunião com o
governador, que também foi acompanhada pelos senadores Valdir Raupp (PMDB-RO),
Waldemir Moka (PMDB-RO) e Acir Gurgacz (PDT-RO).

Armazém

A ministra informou ao governador e aos senadores que vai agilizar a
licitação para construção de um armazém no município de Cerejeiras (RO),
por meio da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). O empreendimento terá
capacidade para armazenar 50 mil toneladas de grãos a granel.

Atualmente, a companhia dispõe apenas de três armazéns convencionais
em Rondônia e não há unidades credenciadas para movimentação, guarda e
conservação de grãos a granel na região. As informações partem da
Assessoria de Comunicação Social do Mapa.

Revisão: Carine Lopes (carine@safras.com.br) / Agência Safras

Copyright 2015 - Grupo CMA



(09/12 - 17:12) MILHO/SOJA: Comissão solicita impactos do clima sobre safra de MT


Porto Alegre, 09 de dezembro de 2015 - A pedido da Comissão de Defesa
Agrícola da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso
(Aprosoja), o Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea) libera
na segunda-feira (14) um levantamento com a projeção da produtividade média
no estado e por regiões. A intenção da Comissão é tentar mensurar o impacto
negativo das condições climáticas atípicas, com seca estendida durante os
meses de setembro e outubro, quando o plantio de soja se intensifica em Mato
Grosso.

"Para evitarmos análises extremistas, pedimos ao Imea uma análise
regional para que possamos ter um retrato mais realista dos efeitos que o clima
tem gerado nas lavouras", observa Roseli Giachini, produtora em Cláudia e
membro da Comissão de Defesa Agrícola.

Na reunião realizada ontem (08), a Comissão definiu os pontos
estratégicos que vão orientar a atuação no ano que vem, e fez um balanço
dos resultados de 2015. "Nos últimos dois anos, avançamos na discussão de
importantes temas para o produtor, como biotecnologia e lei de cultivares, tanto
com os associados como com os poderes públicos. Infelizmente, algumas
conquistas demoram para vir por se tratarem de temas que dependem de mudanças
em legislação. Porém, o saldo é positivo", avalia Alex Utida, coordenador
da Comissão.

Um dos destaques do ano foi a discussão sobre o futuro do manejo do
sistema produtivo em Mato Grosso. A realização do Simpósio Agroestratégico,
incluindo uma etapa prática em 22 municípios em novembro, foi também um ponto
alto. "Em três edições realizadas neste ano, atendemos diretamente mais de
900 produtores com essas ações", pontuou Franciele Dal'Maso, gerente da
Comissão.

A partir de 2016, a Comissão de Defesa Agrícola terá na coordenação
a produtora rural Roseli Giachini, que também será a segunda vice-presidente
Norte da Aprosoja. A vice-coordenação continua com o agricultor Alexandre
Schenkel, futuro Diretor Administrativo da Aprosoja. As informações partem da
Assessoria de Comunicação Social da Aprosoja.

Revisão: Carine Lopes (carine@safras.com.br) / Agência Safras

Copyright 2015 - Grupo CMA


(09/12 - 17:09) AGRONEGÓCIO: Exportações aumentaram 8,2% em novembro


Porto Alegre, 09 de dezembro de 2015 - As exportações do agronegócio
brasileiro em novembro deste ano tiveram aumento de 8,2% em comparação com
igual mês de 2014. Os embarques de setor somaram US$ 6,63 bilhões, ante US$
6,13 bilhões de novembro do ano passado. Em valores absolutos, houve um
acréscimo de US$ 501,44 milhões. Os números foram divulgados nesta
quarta-feira (9) pela Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio
(SRI) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

Ainda de acordo com os dados da SRI, as importações do agronegócio em
novembro caíram 20,3% em relação ao mesmo mês de 2014, passando de US$ 1,25
bilhão para US$ 993,31 milhões. Com isso, o superávit da balança do setor
foi de US$ 5,64 bilhões.

"O aumento das exportações só não foi maior por causa da queda,
quase generalizada, dos preços médios dos principais produtos de exportação
do agronegócio", assinala a secretaria de Relações Internacionais do
Agronegócio, Tatiana Palermo.

Carnes, complexo soja, cereais, farinhas e preparações, produtos
florestais e açúcar e álcool foram os principais setores exportadores. Eles
foram responsáveis por 72,5% - ou US$ 4,81 bilhões - de todos os embarques
do agronegócio em novembro.

Embora tenha ficado em primeiro lugar entre os principais produtos
exportados, as carnes tiveram recuo de US$ 1,43 bilhão de novembro de 2014 para
US$ 1,29 bilhão (-9,7%) no mês passado. Os embarques de carne de frango
somaram US$ 596,53 milhões, com queda de 9,2% em novembro. As exportações de
carne bovina tiveram retração de 6,8%, a carne suína, de 11,6% e a de peru,
de 31,1%.

O complexo soja teve desempenho positivo. Os embarques do setor aumentaram
em 68% em valor. A quantidade exportada de soja em grão subiu de 176 mil
toneladas para 1,44 milhões de toneladas (+719,2%) no período. "Mesmo com a
queda do preço médio em 16,9%, o valor exportador de soja em grão cresceu de
US$ 80,92 milhões em novembro de 2014 para US$ 551,02 milhões no mês
passado", destaca Tatiana Palermo. As exportações de farelo de soja e óleo
de soja caíram 7,4% e 7,6%, respectivamente.

Milho e arroz

Segundo a nota técnica da SRI, os cereais, farinhas e preparações
ficaram na terceira posição no ranking dos principais produtos exportados,
registrando forte crescimento. As vendas do setor subiram de US$ 590,02 milhões
em novembro de 2014 para US$ 862,01 milhões no mês passado, com aumento de
46,1%. O milho foi o principal produto exportado do setor, com 92,7% do valor
comercializado. Os embarques de arroz também arroz também se destacaram,
subindo de US$ 23,67 milhões em novembro de 2014 para US$ 43,11 milhões no
mês passado.

Os produtos florestais ficaram na quarta posição, passando de US$
753,66 milhões para US$ 813,30 milhões no período analisado. Quinto colocado
no ranking da balança comercial do agronegócio, o complexo sucroalcooleiro
teve recuo nas vendas externadas, que passaram de US$ 823,10 milhões em
novembro de 2014 para US$ 780,04 milhões no mês passado.

Blocos e países

Conforme os dados da SRI, as compras da Ásia de produtos do agronegócio
brasileiro tiveram aumento de 28% em novembro deste ano, alcançando US$ 2,46
bilhões. Com isso, a participação do continente na balança comercial do
Brasil subiu de 31,4% para 37,1%.

Entre os países, o destaque ficou com a China, que elevou suas compras
em 77,5% no mês passado. Com esse crescimento, a participação do país
asiático quase dobrou, passando de 7,7% para 12,6%. As exportações de soja em
grão para a China foram o fator principal para esse desempenho. As
informações partem da Assessoria de Comunicação Social do Mapa.

Revisão: Carine Lopes (carine@safras.com.br) / Agência Safras

Copyright 2015 - Grupo CMA








(09/12 - 14:44) AGROPECUÁRIA: VBP em MS deve ultrapassar R$ 25 bilhões no próximo ano


Porto Alegre, 09 de dezembro de 2015 - Ainda resistente aos efeitos da
atual crise econômica, a agropecuária em Mato Grosso do Sul deve registrar
números positivos em 2016. A previsão do Departamento Econômico do Sistema
Famasul - Federação da Agricultura e Pecuária de MS é de que o VBP - Valor
Bruto de Produção do setor encerre o próximo ano na casa dos R$ 25 bilhões,
resultado superior aos valores contabilizados nos anos anteriores. A
informação foi divulgada na coletiva de imprensa realizada nesta quarta-feira
(09), na sede da Casa Rural.

O Valor Bruto da Produção é o resultado da multiplicação das
quantidades de produtos vendidos pelos seus preços, ou seja, o faturamento
bruto de todas as unidades produtoras, mais os valores de produtos que não são
comercializados, mas que tem preços imputados, como por exemplo, autoconsumo
dos produtores rurais. O VBP projetado para 2016, de R$ 25 bilhões, é
aproximadamente 11% maior que o patamar apontado para 2015, de R$ 22,8 bilhões.

Para a gestora do Departamento Econômico do Sistema Famasul, Adriana
Mascarenhas, apesar da projeção positiva, o setor poderia ter um desempenho
melhor senão fosse a atual conjuntura econômica. "O agronegócio não é
imune à crise, porém por ser um setor altamente eficiente e competitivo tem
apresentado certa vantagem diante de outros setores e é por isso que
continuamos crescendo. É preciso que o produtor fique atento e bem informado
já que em 2016 os custos de produção, influenciados pela alta do dólar,
devem deixar a margem de lucro mais estreita", salienta.

Em relação a 2014, quando o VBP da agropecuária somou R$ 20,3
bilhões, o incremento é de 24,5% em comparação ao que é esperado para 2016.
Especificamente para a pecuária, a projeção é que o VBP some R$ 9,3
bilhões. Enquanto que para a agricultura, o esperado é que o indicador atinja
cerca de R$ 16 bilhões. Os dois segmentos ultrapassarão os números dos anos
anteriores, segundo as informações do Sistema Famasul.

A agricultura, composta pelos dados referentes à soja, milho,
cana-de-açúcar e silvicultura, responde por 63,2% da formação do VBP,
enquanto que o complexo pecuário, que abrange bovinos, leite, aves e suínos,
responde por 36,8%.

Ações do Sistema Famasul - Durante a coletiva, além dos dados
econômicos, o presidente do Sistema
metas para o próximo ano que visam o desenvolvimento do setor. "Queremos
manter em 2016 o trabalho forte do Senar/MS em relação à educação. Este é
o pilar da nova gestão do instituição que acredita na transferência e no
compartilhamento do conhecimento".

O diretor executivo do Sistema Famasul, Lucas Galvan, apresentou dados
sobre a situação do Estado em relação ao CAR/MS - Cadastro Ambiental Rural.
De acordo com as informações divulgadas pelo dirigente, em Mato Grosso do Sul,
apenas 26,2% das áreas rurais realizaram o cadastramento de suas propriedades
até o momento, com total de 7,5 mil propriedades. As informações partem da
Assessoria de Imprensa do Sistema Famasul.

Revisão: Carine Lopes (carine@safras.com.br) / Agência Safras

Copyright 2015 - Grupo CMA


(09/12 - 14:39) SOJA: MT tem ressemeadura de 3,1% da área total com falta de umidade


Porto Alegre, 09 de dezembro de 2015 - As irregularidades climáticas nos
últimos meses no Mato Grosso refletiram não só no ritmo do cultivo da nova
safra de soja como também fizeram muito agricultor ter gasto extra ressemeando
áreas que não resistiram à baixa umidade.

O Instituto Mato-Grossense de Economias Agropecuárias (Imea) estima que
em MT até o dia 27/11, tenha sido ressemeada uma área de 281,8 mil hectares,
representando 3,1% da área total. Projeta-se que o impacto da ressemeadura
tenha sido de R$ 64,8 milhões, considerando apenas os custos com semente e
diesel, e desconsiderando quaisquer tratos culturais.

O gasto extra de 7,8% sobre o custo total implica que o produtor que
ressemeou deverá colher 4,09 sc/ha a mais ou vender a um preço R$ 4,37/sc
superior para conseguir cobrir estes gastos que não estavam na conta.

Caso o clima não favoreça o desenvolvimento das lavouras nos próximos
meses ou os preços, que já recuaram no último mês, continuem a cair. O
produtor que ressemeou pode ver sua margem ainda mais apertada. Com
informações do IMEA (MT).

Revisão: Carine Lopes (carine@safras.com.br) / Agência Safras

Copyright 2015 - Grupo CMA



(09/12 - 13:16) PORTOS:Leilão de área portuária viabiliza R$ 1,4 bi a governo, diz ministro


Porto Alegre, 09 de dezembro de 2015 - O ministro do Planejamento, Nelson
Barbosa, afirmou nesta quarta-feira que o leilão de áreas portuárias vai
viabilizar para o governo 1,4 bilhão de reais e outros cerca de 600 milhões de
reais em investimentos.

Para o ministro, que participou do evento, o leilão foi um "sucesso"
e mostra que há oportunidades de investimentos no país.

As gigantes do agronegócio Louis Dreyfus e Cargill venceram junto com a
produtora de celulose Fibria os leilões de áreas portuárias em Santos nesta
manhã, no segundo certame de infraestrutura logística organizado pelo governo
federal deste ano. As informações partem do site da Reuters.

Revisão: Carine Lopes (carine@safras.com.br) / Agência Safras

Copyright 2015 - Grupo CMA


(09/12 - 13:13) AGRICULTURA: Dow Chemical negocia fusão com DuPont


Porto Alegre, 9 de dezembro de 2015 - A Dow Chemical e a DuPont estão em
negociações avançadas para uma fusão, segundo fontes próximas do assunto
ouvidas pela agência de notícias "Dow Jones". A transação uniria duas das
empresas mais antigas dos Estados Unidos, cujo valor combinado passa dos US$ 120
bilhões.

A fusão pode ser anunciada nos próximos dias e, posteriormente, o novo
grupo poderia ser dividido em três partes, disseram as fontes. O
executivo-chefe da Dow, Andrew Liveris, deve se tornar presidente da nova
empresa e o executivo-chefe da DuPont, Edward Breen, deve manter o mesmo cargo.
O acordo ainda não foi assinado e pode não avançar, alertam as fontes.

A fusão criaria uma gigante com mais de US$ 90 bilhões em vendas
combinadas e uma posição forte em setores como plásticos, química industrial
e agricultura. Pressionadas pelos acionistas para simplificar sua estrutura e
se concentrar em áreas de maior crescimento, as duas empresas estão
reestruturando seus negócios.

O acordo aceleraria este processo através da criação de unidades
separadas para os segmentos de agricultura, materiais e produtos especializados,
disseram algumas das fontes consultadas. As informações partem da Agência
CMA.

Revisão: Carine Lopes (carine@safras.com.br) / Agência Safras

Copyright 2015 - Grupo CMA



(09/12 - 10:00) MILHO: USDA deve elevar estoques globais e dos EUA na safra 2015/16


Porto Alegre, 9 de dezembro de 2015 - O Departamento de Agricultura dos
Estados Unidos (USDA) divulga nesta quarta-feira, a partir das 15h, o relatório
de oferta e demanda de dezembro. A expectativa de analistas e traders
consultados por agências internacionais é de que possa haver um aumento nos
números de estoques finais da safra mundial e norte-americana 2015/16.

O mercado estima que os estoques finais da safra 2015/16 dos Estados Unidos
devem ficar em 1,769 bilhão de bushels, acima dos 1,760 bilhão de bushels
previstos em novembro.

Os analistas e traders também indicam uma elevação nos estoques finais
de passagem da safra mundial 2015/16, que poderiam atingir 212,2 milhões de
toneladas, ante as 211,9 milhões de toneladas apontadas em novembro. Para a
safra 2014/15 o Departamento projeta estoques finais globais de 208,1 milhões
de toneladas, abaixo das 208,2 milhões de toneladas indicadas no mês passado.

Arno Baasch (arno@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2015 - Grupo CMA


(08/12 - 20:12) PORTOS: Governo retira terminal no Pará de licitação de áreas de 4a-feira


Porto Alegre, 08 de dezembro de 2015 - A Secretaria de Portos (SEP)
informou nesta terça-feira que o leilão que ocorreria na quarta-feira da área
localizada no Porto de Vila do Conde, no Pará, foi suspenso por falta de
interessados.

O terminal de grãos em Vila do Conde seria licitado junto com outras
três áreas no Porto de Santos, em São Paulo, na sede da Bovespa.

Assim, o leilão de quarta-feira envolverá apenas as áreas em Santos. A
área no Pará provavelmente será incluída nos próximos certames do setor,
segundo a SEP.

A estimativa de investimento divulgada pela SEP em outubro era de 501
milhões de reais para a área no Pará e de 640 milhões de reais para as
áreas em São Paulo.

O leilão será o primeiro desde o anúncio da segunda etapa do Programa
de Investimento em Logística (PIL) pelo governo federal, em junho.

Em Brasília, o ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, afirmou que o
governo federal vai avaliar o motivo da falta de interessados na área no Pará.
O ministro comentou ainda que o terminal em Vila do Conde será incluído na
próxima rodada de venda de ativos portuários "melhorando as condições de
leilão se for necessário".

"Vamos lançar o segundo bloco de terminais para serem licitados em
breve e ele vai incluir o bloco que não houve um lance, um interesse, nesse
momento", disse Barbosa a jornalistas.

"As regras são bem claras, os critérios estão procurando atender as
preocupações de mercado (...) Houve cinco manifestações de interesse, cinco
lances para os leilões de amanhã. Isso demonstra o potencial que nós temos a
desenvolver no setor portuário", afirmou Barbosa. As informações partem do
site da Reuters.

Revisão: Carine Lopes (carine@safras.com.br) / Agência Safras

Copyright 2015 - Grupo CMA


(08/12 - 17:50) AGRICULTURA: Comitiva chinesa conhece setor do Mato Grosso


Porto Alegre, 08 de dezembro de 2015 - Uma comitiva chinesa visitou a
Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja) nesta
terça (08), em Cuiabá. Representantes da indústria de óleo e farelo de soja,
organizações não-governamentais, como a Solidariedad, a TNC e a WWF,
instituto de estatística agrícola Polson e da Associação Chinesa de Soja
vieram conhecer a agricultura do Estado pelo viés da sustentabilidade.

"Os chineses querem entender como fazemos agricultura em Mato Grosso e
saíram desta reunião bem impressionados com o que os produtores rurais daqui
vem fazendo no campo", diz Ricardo Arioli, consultor da Aprosoja. Durante a
manhã, o superintendente do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária
(Imea), Otávio Celidônio, fez uma apresentação sobre as projeções para o
agronegócio até o ano de 2025. Arioli também explicou sobre o agronegócio e
sustentabilidade, apresentando o programa Soja Plus.

O chefe da delegação chinesa, Liu Denggao, da Associação Chinesa de
Soja, lembrou que o mundo está em rápido desenvolvimento e que as parcerias
são importantes para o desenvolvimento dos países. "É importante lembrar
que a soja é um das commodities que mais cresce no mundo e o Brasil é o país
exponente, que tem terra e água para produção de alimentos. Já a China está
em rápido desenvolvimento e precisa deste mercado", afirma. A associação
representa sete empresas chinesas de soja, que importaram 20 milhões de
toneladas de grãos neste ano.

Soja Plus - Os empresários e os representantes do terceiro setor
ficaram satisfeitos com as informações repassadas sobre o Soja Plus, que é
programa de gestão da propriedade que auxiliar os produtores rurais com
qualificação para o cumprimento das legislações ambiental e trabalhista
brasileiras. O consultor Ricardo Arioli também falou sobre as Áreas de
Preservação Permanente (APP), o Cadastro Ambiental Rural (CAR), entre outros.
Os chineses também questionaram sobre o custo de produção da soja, a
fabricação e importação de agroquímicos, a rotação de culturas. Ricardo
Arioli falou sobre

A comitiva tem ainda compromissos com o governo estadual e seguem para a
cidade de Lucas do Rio Verde, na região Norte, para conhecer uma propriedade
rural. As informações partem da Assessoria de Imprensa da Aprosoja (MT).

Revisão: Carine Lopes (carine@safras.com.br) / Agência Safras

Copyright 2015 - Grupo CMA


(08/12 - 17:25) PORTOS: Segundo bloco de leilões será lançado em breve - Barbosa


Porto Alegre, 8 de dezembro de 2015 - O ministro do Planejamento, Nelson
Barbosa, afirmou que o leilão do terminal Vila do Conde, no Pará, que foi
retirado por falta de interessados do leilão de portos que será realizado
amanhã irá entrar em uma segunda rodada de leilões a ser realizada em breve.

De acordo com o ministro, a oferta será revisada pelo governo e
incluída na próxima rodada em que há mais quatro blocos para serem leiloados,
todos no Pará. As informações partem da Agência CMA.

Revisão: Carine Lopes (carine@safras.com.br) / Agência Safras

Copyright 2015 - Grupo CMA


(08/12 - 17:11) GRÃOS: Capacidade estática de armazenamento cresce aproximadamente 4% em MS


Porto Alegre, 08 de dezembro de 2015 - Com a responsabilidade de sustentar
a crescente demanda nacional e internacional, a produção de grãos tem
registrado consequentes recordes de produtividade, no Brasil e observada também
observada em Mato Grosso do Sul. O potencial produtivo se depara com o gargalo
da infraestrutura. A notícia boa que chega dias antes do início do plantio de
soja no Estado, é que teremos mais espaço para estocar os grãos. No
comparativo de outubro de 2014 a outubro de 2015, a capacidade estática de
armazenamento de grãos ampliou cerca de 4%, o que equivale a mais de 322 mil
toneladas.

De acordo com o IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e
Estatística, a capacidade de armazenamento estático do Estado é de 8,4
milhões de toneladas. Somando as produções estimadas de soja e milho safrinha
para temporada 2015/2016, que correspondem a 7,4 milhões de toneladas e 8,9
milhões de toneladas respectivamente, o total que supera 15 milhões de
toneladas ultrapassaria a capacidade máxima de armazenamento do Estado.

O crescimento não supri a nossa produção, mas para o presidente da
Aprosoja/MS, Christiano Bortolotto, em relação à armazenagem, o percentual é
um avanço. "Temos uma atividade agrícola dinâmica, movimento provocado
principalmente pelo dólar, que possibilita vendas antecipadas de soja e
milho". Mas o agricultor carrega a experiência deste entrave de
infraestrutura, ele sabe bem o que é ser pressionado a vender o grão por falta
de espaço para armazenar e negociá-lo no momento oportuno. Na lista dos
municípios com maior crescimento da capacidade estática de estoque de grãos
aparece Bonito (110%); Antônio João (80%) e Naviraí (40%). As informações
partem da Assessoria de Imprensa do Sistema Famasul.

Revisão: Carine Lopes (carine@safras.com.br) / Agência Safras

Copyright 2015 - Grupo CMA